Dicas

5 dicas para reduzir o consumo de comida processada

Ao longo dos anos, vários fatores levaram as sociedades ocidentais industrializadas a se tornarem sedentárias. Claramente, isso repercutiu na nossa alimentação que hoje é, em boa parte, processada. Em menos de um século, os nossos hábitos mudaram, a nossa silhueta mudou, e a nossa saúde e equilíbrio alimentar também.

A alimentação industrial se desenvolveu graças ao marketing. A “comida” embalada” carrega status de praticidade, comodidade, e durante algum tempo esteve associada à capacidade financeira. Quem comprava não precisava fazer o trabalho braçal de plantar e colher a sua própria comida…

A alimentação e o estilo de vida das sociedades atuais está no cerne de um paradoxo: a nossa expectativa de vida aumentou, mas por outro lado há uma série de “novas” doenças” e muitas delas relacionadas com a alimentação. E há ainda uma indústria farmacêutica ávida por nos medicar… Mas olhando para o passado podemos mudar algumas coisas no futuro da nossa alimentação. E acreditem, não é assim tão complicado!

Dicas para evitar alimentos processados

1. Menos embalagens

Embalagem é casca! Esse é o lema. Quanto mais in natura e fresco for o alimento mais longe você estará da comida processada, por isso prefira sempre alimentos em sua forma bruta. Evite também embutidos industrializados, patês, e etc.

2. Não caia nas armadilhas do marketing

Oferta promocional, leve 3 pague 2, abre fácil, etc… Todas essas estratégias de venda nos fazem comprar e consumir mais comida processada. Tirar a casca de uma banana não demora assim tanto tempo mais do que abrir um iogurte, certo?!

3. O alimento “estrela”

Sabe aquele iogurte que vai fazer o seu intestino funcionar e que é uma estrela do horário nobre? É um alimento processado… Podemos encontrar fibras e tudo o mais que o seu intestino precisa para funcionar bem na comida de verdade. Busque alternativas aos alimentos processados.

4. Fuja dos “ingredientes” desconhecidos

Existe uma lista de aditivos autorizados que são desconhecidos para nós, apesar de autorizados. Os ingredientes precisam ter nomes que nos possamos reconhecer, como farinha, leite, ovos, etc… E não uma conjugação de letras, sequências de consoantes e números. Quanto menos ingredientes tiver um alimento, melhor.

5.  Troque o supermercado pela feira

Claro que há muitas coisas que precisamos comprar no supermercado. Mas comida de verdade, encontramos com mais facilidade na feira. Além de tudo, ainda incentivamos os agricultores e temos mais chances de comprar comida fresca.

Em resumo: vamos voltar a comer comida de verdade, com menos plástico e menos aditivos. Comida natural, orgânica e fresca.

Beijos,

Carol

*Esse artigo é uma livre tradução do original: 5 règles pour éviter les aliments transformés

Previous Post Next Post