Dicas

8 dicas que podem melhorar a relação das crianças com a comida

Ver os filhos raspando o prato é o sonho da maioria das mamães e papais. Porém, grande parte das crianças faz aquela birra na hora de comer, recusando-se a provar alimentos diferentes e deixando mais da metade da comida no prato. É nessa hora que muitos pais acabam cedendo à pressão dos filhos, oferecendo guloseimas em troca de colheradas da refeição saudável ou negociando presentes ou passeios com seus filhos.

Quem nunca viveu ou presenciou uma cena dessas na vida? Nós separamos algumas dicas importantes que podem ajudar muitos papais e mamães na famosa “hora do papá”:

1. Não grite, brigue ou obrigue seu filho a comer um alimento recusado. Espera alguns dias e apresente esse mesmo alimento preparado de uma outra maneira. Por exemplo, se ofereceu cenoura em rodelas e cozida, tente cenoura ralada e crua. Se ele recusar de novo, faça a mesma coisa: espere mais uma semana e mude a forma de preparo desse alimento.

2. Aja com naturalidade cada vez que introduzir um alimento novo. Tente não demonstrar aquela ansiedade ou surpresa quando seu filho comer aquele brócolis que você está lhe oferecendo há semanas. Do mesmo modo, não se irrite quando ele recusar pela terceira vez a rúcula. Agir naturalmente deixa a criança confortável e facilita a aceitação de alimentos.

3. Sente-se a mesa com a criança, não ligue a TV e coma os mesmos alimentos que ela. As refeições sempre que possível devem ser feitas em família e em ambiente tranquilo, longe da televisão.

4. Não precisa encher o prato e não obrigue seu filho a raspá-lo. Servir em porções menores é mais interessante e deixa a criança à vontade para repetir se necessário.

5. Não ofereça certos alimentos como “prêmios”. A criança precisa compreender que tanto os legumes, quanto a sobremesa fazem parte da refeição como um todo. O problema é que essa atitude pode influenciar negativamente o comportamento alimentar da criança pela vida toda. Obrigar a criança a comer ou estabelecer recompensas como doces e biscoitos a cada vez que ela come um alimento saudável faz com que a criança supervalorize as guloseimas e crie traumas durante as refeições.

6. Use a criatividade nas preparações. Principalmente quando as crianças têm entre 4 e 5 anos ou mais, eles se interessam pelas formas e cores dos alimentos. Portanto, abuse de cortadores e tente criar diferentes formas com os legumes e frutas para tornar a refeição mais atraente.

7. Tente não disfarçar os alimentos. Colocar todos os legumes escondidos no feijão pode fazer com que seu filho coma sem nem perceber, mas pode ter certeza de que isso não ajuda na aceitação dos alimentos a longo prazo. A criança precisa perceber as diferentes texturas e cores dos alimentos. Já misturas como sopas de macarrão com legumes ou panquecas com recheio de espinafre e cenoura, por exemplo, são ótimas opções para introduzir legumes e incrementar estes pratos de fácil aceitação por crianças. Nesses casos, todos os ingredientes são valorizados, bem como suas textura e sabor.
8. Envolva as crianças no preparo das refeições. É importante que a criança conheça o alimento in natura e vivencie a preparação da refeição. Aproveite um final de semana e leve seu filho para a cozinha para fazer um bolo, um pão ou uma salada de frutas.

 

Autora: Juliana Franco

Juliana não sai da cozinha e gosta de prato cheio e colorido. Nutricionista formada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Seu interesse pela relação entre nutrição e a prevenção de doenças a fez dedicar grande parte de sua carreira à pesquisa. É apreciadora de comida regional, faz questão de experimentar tudo em qualquer lugar que visita.

Previous Post Next Post