Dicas

É fome ou vontade de comer? Quando a ansiedade engorda.

“Tudo é uma questão de manter, a mente quieta, a espinha ereta, e o coração tranquilo”

Não se recompense com comida. Você não é um cãozinho!

Você sabe diferenciar a fome daquela vontade de comer que surge do nada, e te faz abrir a geladeira ou os armários e procurar alguma coisinha para colocar na boca, preferencialmente doces, bolachas ou, idealmente, um chocolatezinho?

Sabia que nem sempre que você sente “necessidade” de comer é fome? Pois é, essa vontade incontrolável de mastigar pode ser provocado por outros sentimentos diversos que nada têm a ver com fome de verdade. Sabe aquela coisa assim… ai, vontade de comer não sei o quê?! Pode ser só a tal ansiedade engordativa falando mais alto!

Comer motivado pelas emoções é muito comum. Os “comedores emocionais” comem sempre em resposta a outros sentimentos, que não são fome. Comer motivado pelas emoções, e deixar-se levar pela ansiedade engorda e, pior, faz mal para sua saúde tanto física quanto emocional. Isto porque os “comedores emocionais” geralmente comem algo que traga satisfação e prazer imediato, mas não causam sensação de saciedade!

Fome ou só vontade de comer?

Não se preocupe, quando sentir fome, a sua barriga vai avisar. A fome fisiológica dá sinais físicos. A fome emocional aparece junto com o tédio, com a ansiedade, com o stress, com o nervosismo, raiva, frustração…

Isto não quer dizer que você só deva comer quando estiver quase desmaiando de fome! Mas o melhor é comer quando sentir fome, e comer mais vezes por dia e em menos quantidades. E procure comer comida de verdade em vez de produtos alimentícios. Por uma questão de segurança, tenha sempre uma fruta por perto…

E lembre-se, você come o que você compra. Se encher o armário de guloseimas e besteiras, quando essa tal fome emocional bater, é com a bolacha recheada que você vai se consolar. Mas se você tiver mais frutas, vegetais e comida saudável em casa, pode ser uma salvação num momento de angústia! Ah, outra dica, quando bater essa tal fome emocional, beba água! 

O comedor emocional come para saciar emoções e não a fome, e nem sempre tira o real proveito do sabor e de toda a emoção que se pode ter na relação com a comida. Coma saboreando a comida, mastigue bem, sinta a textura, as nuances de sabor…

Comida é sentimento. Comer pode ser uma fonte de prazer, mas comer motivado por sentimentos que não estão relacionados com a comida em si, ainda mais se for de modo compulsivo, pode ser perigoso para saúde a médio e longo prazo.

Eu sou um “comedor emocional”?

Se você se identifica com muitas dessas frases abaixo, a resposta pode ser “sim”, você é um comedor emocional. Você pode encarar o desafio de tentar se controlar sozinho ou buscar uma ajuda profissional de um nutricionista.

    • Você come mais quando está stressado ou sob pressão.
    • Quando está sem nada para fazer, você procura algo para comer.
    • Quando tem muita coisa para fazer, você procura algo para comer.
    • Você come como uma resposta às suas emoções ou para “curar” uma frustração.
    • Você come para procrastinar alguma tarefa importante que lhe causa ansiedade.
    • Você come fora de controle (sempre a velha história: só mais…)
    • Você come para se sentir feliz.
    • A comida é uma das seus principais motivos de “felicidade”.
    • Comer bolos, doces e chocolates lhe dá uma sensação de bem estar.
    • Você sempre come até se sentir super cheio.
    • Você usa palavras emocionais para descrever a comida e a sua relação com o que come.
    • Você tem desejos de comida aleatórios, a qualquer horário.
    • Você não prioriza alimentos saudáveis, mas sim aqueles que dão prazer imediato.

Beijos,
Carol

Previous Post Next Post