fbpx
Projeto Verão Pra Vida Toda

Eu não quero a barriga dela

Outro dia, embarcando para São Paulo, passei pela banca de revistas do aeroporto para ver as novidades. O anúncio do verão está estampado em muitas das capas e, infelizmente, não há muita novidade… são as dietas da moda para secar não sei quantos quilos, dieta relâmpago, dicas de treinos para ter a barriga chapada, dicas para emagrecer e definir o corpo, receita para ter a barriga da atriz da novela, etc. Mais do mesmo.

Estamos naquela época do ano “especial”, e não, não é por causa das confraternizações de natal. Na verdade, ainda não encontrei um adjetivo adequado, mas é algo que passa pelo bizarro, visita o irracional e chega a ser quase cômico, se, desculpe o jargão, não fosse trágico.

verao

De uma hora para outra é ligado o “botão verão”, e com ele toda a loucura por um “corpo de praia” (que pra mim significa apenas ter um corpo e ir a praia…). Até quando a gente vai ficar nessa mesmice que não leva a lugar nenhum a não ser a muita frustração? Afinal, não existe milagre capaz de, principalmente, fazer você ser quem não é, e ainda bem, não é?! Porque enquanto a gente perde tempo querendo ser uma outra pessoa, ter a beleza da outra, ter a barriga do outra, etc., estamos perdendo a oportunidade incrível de manifestar a nossa singularidade, que é onde habitam os nossos talentos e a nossa luz!

Quando me deparei com essa capa de revista: “quer a barriga dela?”, quase falei bem alto e forte, NÃO, óbvio que não! Não tenho certeza, mas pode até ser que eu tenha feito isso, seguido de uma gargalhada… Porque gente, vamos combinar, o que seria ter a “barriga dela”? Um transplante de barriga? Não, obrigada, estou bem feliz com a minha barriga, afinal cada corpo conta a sua história.

Não que eu não queira que a minha barriga fique melhor, mas o melhor que ela pode ser dentro das minhas possibilidades e da minha história… E dificilmente a “receita” (aposto que deve ter algo terminado em fit) da revista que me “vende” a barriga daquela garota vai servir pra mim, afinal, eu sou eu, ela é ela. Então por favor, parem, mas apenas parem, com essa palhaçada.

O verão pode e deve sim ser mais leve, mais gostoso, mais prazeroso. É preciso estar à vontade com quem somos para curtir o verão. Não é uma barriga chapada que vai fazer isso pela gente. E no fundo, nós sabemos disso! O tal projeto verão, que é quase sempre um combo de restrição alimentar feat. tortura física, deveria ser pensado a longo prazo, na verdade um #ProjetoVerãoPraVidaToda, pautado em se conhecer e viver melhor com mais saúde e alegria, independente do percentual de gordura!

Vamos respeitar a nossa história, o nosso corpo, a nossa individualidade, e alinhar as expectativas com as possibilidades ao invés de ficar olhando para fora  e desejando o que não está em nós e nem pode estar. Vamos olhar para dentro e encontrar as nossas potencialidades. A vamos ter a alimentação como nossa aliada para ter saúde e prazer, e não como vilã ou fonte de culpa, neurose e frustrações.

Beijos,

Carol

Previous Post Next Post