fbpx
Dicas

Matchá: o que é, e quais as suas propriedades e benefícios

Depois da água, as infusões (que nós, equivocadamente, chamamos de chás. Sim, porque chá mesmo é só o que é feito a partir da camellia sinensis) são provavelmente as bebidas mais populares no mundo. Em terras tupiniquins, o “chá” está muito relacionado com o uso medicinal, e quando falamos de um consumo mais social do chá, pensamos logo no famoso chá das 5 com a rainha… Mas a verdade é que em muitas culturas, orientais sobretudo, o chá é uma bebida social bastante comum, tomada a qualquer hora do dia. Mas nem por isso os seus atributos terapêuticos são ignorados!

De tradição milenar oriental, o chá pode ser feito a partir de uma variedade incontável de ervas, frutos, folhas, flores e raízes de plantas, e tem diferentes formas de preparo ao redor do mundo. Pelo que se sabe, o uso social do chá surgiu no Japão, na dinastia Tang, no séc. I d.C. Foi também no Japão, precisamente nas cerimônias do chá, que o matchá se popularizou, o nosso “ingrediente da vez”.

Para descobrir um pouco mais sobre o matchá, um tipo de chá verde pulverizado que traz uma série de benefícios para o organismo, vamos entrar no maravilhoso mundo dos chás. Vem comigo!

O que é o matchá

O matchá é derivado da mesma planta que o chá verde. Por isso, para chegarmos ao matchá, vamos falar primeiro do chá verde, que acabou virando uma das bebidas mais ingeridas nas dietas por causa das suas propriedades termogênicas e antioxidantes.

O que você (talvez) não sabe sobre o chá verde…
O chá verde, assim como o oolong e o chá preto, é derivado da camellia sinensis. uma estirpe vegetal de origem chinesa e que cresce principalmente em regiões tropicais e temperadas da Ásia, principalmente China, Índia, Sri Lanka, Japão e alguns países da África e América.

De acordo com o nível de oxidação da camellia sinensis, os chás são categorizados em três principais tipos: verde, oolong ou chá preto. Cada um dos níveis de oxidação dá um sabor diferente ao vegetal, além de tornar proeminente diferentes componentes bioativos, trazendo distintos benefícios terapêuticos para o organismo.

No preparo do chá verde, a camellia sinensis sofre o mais baixo nível de oxidação, inclusive originalmente, o chá verde é feito a partir das folhas frescas, retiradas diretamente do arbusto.

O chá verde tem um sabor muito característico, amargo, adstringente, com uma leve doçura e acidez. Há uma série de estudos científicos que comprovam as fortes propriedades antioxidantes do extrato de chá verde, e estudos que apontam para o caráter preventivo do chá verde contra a incidência de câncer.

Propriedades e benefícios do matchá

Muito bem, e onde entra o matchá nesta história toda? O matchá é derivado da mesma planta do chá verde, então tudo isso que a gente falou vale para o matchá… Mas então, qual a diferença? Para o preparo do matchá, a camellia sinensis é cultivada pelo menos 90% do tempo na sombra, enquanto para o chá verde comum, ela cresce a maior parte do tempo sob a luz solar. Isso faz com que alguns componentes da planta tenham um nível de concentração muito maior no matchá, como é o caso do EGCG, ou epigallocatechin-3-gallate, o fitoquímico antioxidante que pode trazer uma série de benefícios para a saúde do cérebro e do coração, impedindo a ação dos radicais livres que aceleram o envelhecimento, além de ter efeitos preventivos contra o câncer, contribuir para equilibrar os níveis do colesterol e para a perda de peso.

Além disso, o modo de preparo também vai interferir nos resultados. Enquanto o chá verde é preparado a partir da infusão do extrato da planta na água, o matchá é preparado adicionando água às folhas secas pulverizadas.

Conclusão: o matchá possui pelo menos 100 vezes mais EGCG, com isso a ação dos antioxidantes e os demais benefícios são mais concentrados do que no chá verde comum.

Como preparar o matchá

Use 1.5 gramas de matcha para 70ml de água mineral. Ferva a água, deixe a água numa temperatura média de 75º e adicione o matchá. O matchá precisa ser vigorosamente misturado. Tradicionalmente, usa-se uma espécie de “escovinha”, como essa da foto.

matcha1

 

Beijos colaborativos,

Carol Morais e Luiza de Amorim

Fontes:

S.P.J. Namal Senanayake*, Green tea extract: Chemistry, antioxidant properties and food applications – A review – JOURNAL OF FUNCTIONAL FOODS 5 (2013) 1529 – 1541

Ping Xu,*a Le Ying,a Gaojie Hongb and Yuefei Wang*a, (2016)  The effects of the aqueous extract and residue of Matcha on the antioxidant status and lipid and glucose levels in mice fed a high-fat diet – Food Funct, 7, 294.

Previous Post Next Post