Projeto Verão Pra Vida Toda

O perigo dos refrigerantes

The Real Bears é uma campanha do Centro para a Ciência no Interesse Público (CSPI, na sigla em inglês), por iniciativa do publicitário americano Alex Bogusky. Detalhe: por causa dos ossos do ofício, ele já atendeu a Coca-Cola e, atualmente, é contra a indústria dos refrigerantes.

Curtinha, a animação mostra os danos provocados pelo consumo deste tipo de produto. A música tema, do cantor pop Jason Mraz, diz Sugar, sugar. You really make me happy. Impossível não lembrar dos dados apresentados no outro vídeo e das mães que colocam refrigerantes na mamadeira dos filhos, antecipando males antes reservados apenas a idosos, como diabetes e hipertensão.

Mas não pensem que a solução é tomar refrigerantes sem açúcar. Eles são muitas vezes piores por causa dos tipos de adoçantes adicionados que, comprovadamente, além de outras coisas, podem favorecer doenças como o mal de Alzheimer.

O melhor ainda é não consumir. Vamos combinar que nem gostoso é. Trata-se mais de uma questão de hábito. Acostuma-se com o sabor e, em especial, o efeito causado pela quantidade de açúcar e cafeína. Enfim, assista ao vídeo e pense no seu #projetoverãopravidatoda. O que você está plantando diariamente?

Agora vamos aos fatos. Acompanhe abaixo as informações apresentadas no vídeo e conclua por si mesmo:

  • Refrigerantes e outras bebidas adoçadas são a maior fonte de calorias da sua alimentação. Fonte: 2011 Dietary Guidelines for Americans;
  • Uma porção extra de bebidas adoçadas por dia eleva o risco de obesidade de uma criança em 60%. Fonte: The Lancet, 2001;
  • Um ou dois copos de bebidas adoçadas por dia aumenta o risco de diabetes tipo 2 em cerca de 25%. Fonte: Diabetes Care, 2010;
  • Cerca de metade dos homens com diabetes vai ter problemas de ereção. Fonte: Current Diabetes Reports, 2005;
  • O açúcar e ácidos contidos em refrigerantes favorecem a queda dos dentes. Fonte: Surgeon General’s Report On Oral Health, 2010;
  • A diabetes é a causa de mais de 60 mil amputações por ano, US Centers for Disease Control (CDC)

Beijinhos, Carol!

Previous Post Next Post