Dicas

Tem comida virando lixo

Quando me formei a maior certeza que eu tinha era que eu não iria atender em consultório. Essa clareza nasceu do meu senso de organização que se “encontrou” na qualidade, assim, fui buscar meu caminho.

Aprendi que quando encontro um problema, só tenho três opções: resolver na hora (ação imediata), ou descobrir o motivo do problema e resolver (ação corretiva) ou não deixar o problema acontecer (ação preventiva). E como isso funciona muito bem, acabei usando na minha vida, pois como diria minha avó: “não adianta chorar o leite derramado”! E leite é comida, e comida não dá pra desperdiçar.

Uma das “bandeiras” que carrego é a que não devemos desperdiçar comida. Precisamos agir preventivamente e não deixar comida boa ir para o lixo. Me inquieta saber que nós jogamos tanta coisa fora, enquanto muitos não têm o que comer. No mundo 870 milhões de pessoas vivem em insegurança alimentar e todos os dias, uma de cada 8 pessoas vai dormir com fome.

Ao mesmo tempo que somos o País da fartura, somos o País do desperdício.

Reduzir o desperdício pode mudar isso, porque o problema da fome não é a falta do alimento. É a falta de gestão pública e privada. Com base nos dados do IBGE, o instituto Akatu fez umas contas: uma família brasileira gasta em média R$ 478 por mês pra comprar comida. Se não tivesse o desperdício de 20% na nossa casa, R$90,00 seriam economizados mensalmente. Cada um pode fazer a sua parte para uma conta mais justa.

Imagine que hoje 30% de tudo o que é produzido vai para o lixo. Há perdas no campo, no transporte, no armazenamento e dentro da nossa cozinha. Esse número fica camuflado nos nossos hábitos de consumo… apertar as frutas, quebrar a pontinha da vagem e do quiabo, escolher só os perfeitos e grandes, jogar talos e folhas fora.

O desperdício em nossas casas é muito grande, mas supermercados, feiras, restaurantes também não ficam de fora. Precisamos adotar um modelo de consumo consciente, mas enquanto o mundo não muda, podemos fazer a nossa parte:

Dois passos para não desperdiçar comida:

Saber escolher

– Tamanho não é documento! Frutas e verduras maiores não significam que estão melhores. Existe um padrão de beleza no mercado (o preço depende disso, a qualidade não!)

– Não amasse, não aperte, não quebre os alimentos. Tudo o que você estragar irá para o lixo, pois os outros também buscam frutos perfeitos.

– Alimentos feios e tortinhos, nasceram livres! São nutritivos e saborosos também

Não deixar estragar

– Compre somente o necessário. Não deixe a comida estragar dentro da sua geladeira.
Faça listas, monte um cardápio semanal. Experimente fazer em casa o planejamento que faz na sua vida profissional

– Resista às promoções. Se sabe que não vai consumir 1kg de fruta, não compre só porque esta barato

– Doe os alimentos que não serão consumidos!

– Utilize os alimentos integralmente, não descarte as cascas e talos.

Quer fazer mais?

Quer conhecer gente que luta contra o desperdício de alimentos?

Acesse aqui e participe!

Até +
Karla

 

karla ananias

Autor: Karla Ananias é nutricionista e colaboradora do Fale com a Nutricionista. É apaixonada pela área de qualidade. Atua como consultora no Programa ALI (SEBRAE/CNPq) e em outras empresas organizando processos e aumentando a produtividade. Sonha e trabalha pra ver as empresas mais engajadas com a qualidade. É fã do movimento Slow Food, ama abelhas e comida de verdade.

 

Previous Post Next Post